TRANSPARENTES VISÕES (Ronaldo Bello)




De repente paro...
E fico a olhar uma pequena janela,
Onde vejo um rosto desfigurado
e sem ânimo até para sorrir.

O rosto me pareceu de um herói,
vencido pelas barreiras e pelos obstáculos
que não conseguiu pular,
e se deu por vencido.

Os cabelos, os olhos e a boca,
me pareceram de palhaço,
de um palhaço sem graça
que abandonou o picadeiro
por não saber mais oque fazer
para ele mesmo rir.

Mas ele me olhava nos olhos...
E eu vi que ele tentava dizer-me:
Que era preciso sorrir, vencer as barreiras
e os obstáculos,
não se dar por vencido.
De repente eu vejo dos seus olhos,
duas lágrimas caírem.
E volto a mim.
Percebo que não estou diante de uma janela,
e sim, diante do espelho do meu quarto.


Copyright © 2013 by Ronaldo Bello
All rights reserved.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

O Tempo (Roberto Pompeu de Toledo)

É a Vida - That's Life (Kelly Gordon / Dean Kay) Tradução