Postagens

Ela é Mar (Ademir João da Silva)

Imagem
Ela é mar
que invadiu, inundou
com corpo, alma, personalidade
política, arte
e eu, feito boca acanhada do Mundau
ante o oceano  escancarei-me!
virei ria* tresloucada e serelepe.
Também ganhei mais sal
mais gosto
diante do mundo
A minha cara? O meu cabelo?  A minha cabeça?
Um delicioso cheiro de maresia lagunar  manguesina
diversa da marítima
-virei estuário- .

É, ela é m a r
que inundou
afogou
e eu, feito boca acanhada do Mundau
ante o Atlântico
alarguei-me!
pra logo em seguida
derrengar-me, jazer lá
alagadiço meio tamponado
e ofegante por alguns momentos
imediatamente após a vaza da maré
-menos água, menos sal agora-
porém mais sabor e cor
e tão úmido e tão cheiroso.

Copyright © 2019 by Ademir João da Silva  All rights reserved. 

*substantivo femininoEsteiro ou braço de rio,
geralmente usado para navegação. ...
Costa rasa do mar com recortes profundos
(mais usada no plural):rias do mar.


**Modelo Emanuelle Batista, foto: Júnior Ferreira

Mutirão de Amor ( Jesse Silva / Jorge Aragao / Montgomery Nunis)

Imagem
Cada um de nós deve saber se impor  E até lutar em prol do bem estar geral
Afastar da mente todo mal pensar

Saber se respeitar
Se unir pra se encontrar
Por isso, vim propor
Um mutirão de amor
Pra que as barreira se desfaçam na poeira
E seja o fim, o fim do mal pela raiz
Nascendo o bem que eu sempre quis
É o que convém pra gente ser feliz
Cantar sempre que for possível
Não ligar pros malvados
Perdoar os pecados
Saber que nem tudo é perdido
Se manter respeitado
Pra poder ser amado

Click no link abaixo e ouça a música

Partilhar (Rubel Brisolla)

Imagem
Se for preciso eu pego um barco, eu remo por 6 meses
Como peixe, pra te ver
'Tão pra inventar um mar grande o bastante
Que me assuste, que eu desista de você

Se for preciso eu crio alguma máquina
Mais rápida que a dúvida
Mais súbita que a lágrima
Viajo a toda força e n'um instante de saudade e dor
Eu chego pra dizer que eu vim te ver

Eu quero partilhar, eu quero partilhar
A vida boa com você
Que amor tão grande tem que ser vivido a todo instante
A cada hora que eu tô longe é um desperdício
Eu só tenho 80 anos pela frente
Por favor, me dá uma chance de viver

Eu quero partilhar, eu quero partilhar
A vida boa com você
Se for preciso eu pego um barco, eu remo por 6 meses
Como peixe, pra te ver
'Tão pra inventar um mar grande o bastante
Que me assuste, que eu desista de você

Se for preciso eu crio alguma máquina
Mais rápida que a dúvida
Mais súbita que a lágrima
Viajo a toda força e n'um instante de saudade e dor
Eu chego pra dizer que eu vim te ver
Eu quero partilhar, eu …

CANÇÃO DAS MULHERES (Lya Luft)

Imagem
Que o outro saiba quando estou com medo, e me tome nos braços sem fazer perguntas demais.

Que o outro note quando preciso de silêncio e não vá embora batendo a porta, mas entenda que não o amarei menos porque estou quieta.

Que o outro aceite que me preocupo com ele e não se irrite com minha solicitude, e se ela for excessiva saiba me dizer isso com delicadeza ou bom humor.

Que o outro perceba minha fragilidade e não ria de mim, nem se aproveite disso.

Que se eu faço uma bobagem o outro goste um pouco mais de mim, porque também preciso poder fazer tolices tantas vezes.

Que se estou apenas cansada o outro não pense logo que estou nervosa, ou doente, ou agressiva, nem diga que reclamo demais.

Que o outro sinta quanto me dói a idéia da perda, e ouse ficar comigo um pouco - em lugar de voltar logo à sua vida.

Que se estou numa fase ruim o outro seja meu cúmplice, mas sem fazer alarde nem dizendo ''Olha que estou tendo muita paciência com você!''

Que quando sem querer eu digo uma …

"Não Temos Muito o Que Conversar" (Majal-San)

Imagem
As esquinas não se fazem sós,
A Lua não brilha por si.
A brisa não refresca por nós,
A nota que desafina em Mi.

As curvas não se entortam alheias,
A ventania atordoa o pó.
Teus olhos não se retraem – anseias
A nota que desafina em Dó.

As vozes não se calam à toa,
A Poesia permanece de pé.
Teu sussurro deveras entoa
Uma nota que desafina em Ré.



*Veja mais do autor aqui

Romance em Construção (Emanuel Galvão)

Imagem
Olhou aquela mulher como se fosse a única.
Deixou de lado o medo e seu jeito tímido.  Parou defronte aquele ser belíssimo.  Tocou seus lindos lábios num beijo úmido.

Ela surpreendeu-se com a atitude súbita.  Ficou, atordoada, eu diria que atônita.  Levou as mãos à face e ficou estática.  Seu rosto iluminou-se de um brilho pálido.

Beijou-a novamente, firme, forte e rápido.  Antes que parecesse um ato patético.  O que de fato era um ato homérico. E quem observou achou até poético.

Seus pés cambalearam e ficaram flácidos.  Mas o seu coração batia tão frenético.  Nunca imaginou ser beijada em público.  Queria parar, mas era hipnótico.

Ele estava ali se sentido o máximo.  O que o assustava era um motivo estético.  E desistir então lhe parecia módico.  Os sentimentos puros que trazia tácito.  Então, declarou seu amor, fiel e impávido.  E a partir daí, deixou de ser, teórico.



Copyright © 2015 by Emanuel Galvão All rights reserved.

Elogio ao Desejo & Outras Palavras / Emanuel Galvão,

A Palavra (Pedro Costa Pereira - Pedro poeta)

Imagem
A PALAVRA
Alavanca e derruba
Anula e constrói
Poli e corrói
Veste e desnuda.

A PALAVRA
Afaga e maltrata
Alegra e esmaece
Apaga e resplandece
Adianta e retarda.

A PALAVRA
É o cheiro da flor
É o estouro da bomba
a palavra é quem comanda
se declaras a guerra ou proferes o amor.


Copyright © 2019 by Pedro Costa Pereira
All rights reserved.