Postagens

A Palavra Pessoa (Emanuel Galvão)

Imagem
Andei por ai
à cata de palavras
como quem anda à procura de um amigo
para preencher o vazio
da solidão.
Dei-me conta do perigo
desse despertar tardio
dessa sonâmbula solução.

Precisa-se de um amigo
em pessoa
-"a palavra pessoa hoje não soa bem,
pouco me importa"-*

Amigo é aquela pessoa
com a qual a gente pode contar
sem saber matemático,
dividir momentos,
somar ideias e ideais,
multiplica-los
e até subtrai-los,
chorar e rir
até não poder mais.

Amiga é aquela pessoa
que diz verdades dolorosas
e mentiras saborosas
mas nem sempre nessa ordem
adjetiva os faz.

Amiga é aquela pessoa
que nunca repara na desordem
da nossa casa, mas olha sempre,
a da nossa vida.
Tem sempre uma palavra de acolhida
ou um silêncio que fala tudo...
amigo diz e fica mudo.

Amigo perdoa também.
Perdoa até o que não tem perdão,
amigo, perdoa ingratidão.

Amigo é algo que não precisa
de explicação,
basta a alegria de estar perto,
amigo é um oásis no deserto
é a família que nós escolhemos.
Instrumentos de Deus…

3ª Contingência Amorosa (Arriete Vilela)

Imagem
Quero-te assim:
á distância.
Para dizer-me de ti, suavimente.
Ou negar-te,
quando tua lembrança doer
nas pitangueiras da minha infância,
pois insistes em colher os frutos
antes da estação.

Quero-te assim:
sem notícias.
Para que meu riso não te acolha
nem flagres em mim a alegria
de grande circo que, uma noite,
vivi no teu corpo.

Quero-te assim:
à deriva.
Para que, ao te buscar, o meu desejo
navegue à toa, naufragrando aque e acolá,
pois tua pele não tem porto,
nem cais,
nem âncora.


Apesar de Cigano (Altayr Veloso / Aladim Teixeira)

Imagem
Andei pelo mundo procurando
Um grande amor
Zum-zum-zum de abelha
Farejando o mel da flor
E muitas mulheres foram flores
Nesse meu jardim
Mas não adiantou
Você estava em mim

Amei em Pequim
Em Jerusalém
Em Amsterdã
Mas o meu divã
É tua pele Tupi
Guaraná, Guarani
Cheguei em Paris
De lá pude ver
Toda tua luz
Minha Vera Cruz
Eu te amo
E apesar de cigano,
Só penso em você

A flor que despenca do teu galho
Morre de saudade da raiz
Minha Vera Cruz
Minha vida
Vera Cruz minha vida
Meu amor

Ladies e Madonas
Me entregaram os corações
E eu meio pirata
Naveguei nessas paixões
Mas tua luz de santa me acompanha
Aonde quer que eu vá
Cheguei em Bagdá
Você ainda estava em mim

Amei em Pequim
Em Jerusalém
Em Amsterdã
Mas o meu divã
É tua pele Tupi
Guaraná, Guarani
Cheguei em Paris
De lá pude ver
Toda tua luz
Minha Vera Cruz
Eu te amo
E apesar de cigano,
Só penso em você

Nossos curumins
Nossos butequins
Salve Mãe Oxum
Salve Deus tupã
Chico Mendes, zumbi, sapaim, Raoni
Saci-pererê, peixe com dendê,
Carne co…

Edna do Mar (José Minervino Neto)

Imagem
Para Edna Constant
É de na beira do mar tanto morar
Que de olhar já sabia nosso amor

É de na beira do mar tanto morar
Que a espraiar em sonho me levou

É de na beira do mar tanto morar
Que sua casa é arte da maresia

É de na beira do mar tanto morar
Que Edna navega com alegria


Maceió, 15/07/18

Copyright © 2018 by José Minervino Neto
All rights reserved.

"A Alegria de Ensinar" (Rubem Alves)

Imagem
"O nascimento do pensamento
é igual ao nascimento de uma criança:
tudo começa com um ato de amor.
Uma semente há de ser depositada
no ventre vazio. E a semente do pensamento
é o sonho. Por isso os educadores, antes de serem
especialistas em ferramentas do saber,
deveriam ser especialistas em amor:
intérpretes de sonhos."

-

Delírio (Olavo Bilac)

Imagem
Nua, mas para o amor não cabe o pejo
Na minha a sua boca eu comprimia,
E, em frêmitos carnais, ela dizia:
- Mais abaixo, meu bem, quero o teu beijo!

Na inconsciência bruta do meu desejo
Fremente, a minha boca obedecia,
E os seus seios, tão rígidos mordia,
Fazendo-a arrepiar em doce arpejo.

Em suspiros de gozos infinitos
Disse-me ela, ainda quase em grito:
- Mais abaixo, meu bem! - num frenesi.

No seu ventre pousei a minha boca,
- Mais abaixo, meu bem! - disse ela, louca
Moralistas, perdoai! Obedeci...


Papel Sulfite (Kiko Dinucci)

Imagem
Peço que você digite num papel sulfite
Versos convincentes
Peço que você grafite poemas de amor
Com tinta fluorescente

Peço que você delete tudo que doeu e te deixou doente
Não sei que bicho isso vai dar, mas peço
Vamos lá, meu bem, experimente.

Peço que me dê abrigo
Corte meu cabelo na lua crescente
Se você zangar comigo
Vamos ao cinema aliviar a mente

Peço que você aplique tudo em nós dois
Nós dois daqui pra frente
Não sei que bicho isso vai dar, mas peço
Vamos lá, meu bem, experimente

Peço que evite olheiras
A vida é passageira, amor, não esquente
Vamos imprimir em negrito
Tudo de bonito que marcou a gente

Peço que compense o atraso
Se quiser, me caso agora e para sempre
Não sei que bicho isso vai dar, mas peço
Vamos lá, meu bem, experimente

Tudo que te peço, meço
Pra não cometer excesso
Se ocorrer o inverso
Mil desculpas eu te peço