Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2015

14 de Maio (Lazzo Matumbi)

Imagem
No dia 14 de maio, eu saí por aí Não tinha trabalho, nem casa, nem pra onde ir Levando a senzala na alma, eu subi a favela Pensando em um dia descer, mas eu nunca desci Zanzei zonzo em todas as zonas da grande agonia Um dia com fome, no outro sem o que comer Sem nome, sem identidade, sem fotografia O mundo me olhava, mas ninguém queria me ver No dia 14 de maio, ninguém me deu bola Eu tive que ser bom de bola pra sobreviver Nenhuma lição, não havia lugar na escola Pensaram que poderiam me fazer perder Mas minha alma resiste, meu corpo é de luta Eu sei o que é bom, e o que é bom também deve ser meu A coisa mais certa tem que ser a coisa mais justa Eu sou o que sou, pois agora eu sei quem sou eu Será que deu pra entender a mensagem? Se ligue no Ilê Aiyê Se ligue no Ilê Aiyê Agora que você me vê Repare como é belo Êh, nosso povo lindo Repare que é o maior prazer Bom pra mim, bom pra você Estou de olho aberto Olha moço, fique esperto Que eu não sou menino Lazzo Matumbi 14 de Maio Congresso

Le Petit Poème Coquin (Parole: Emanuel Galvão / Traduction : Joseli Rêgo Lopes)

Imagem
Le Petit Poème Coquin  Je cherchais La poèsie Mais elle est allée jouer dans mon enfance Elle a joué le toupie dans mon clos Alors  je suis allé a la lumière De mon clos. Mais la poèsie coquine Elle a  volé tout ensemble a une cerf-volant et a  porté avec elle La parole – matière première -  Je ne comprenais pas pourquoi cette poésie- là était grande Et la mienne était petite J ‘ai bandé mes yeux et j ‘ai joué à la collin-maillard Parce que si je sentais la parole, la rime Je la prendrais tout de suite Mais la poèsie coquine Bien caché chez-moi Apportais les bruits de son attente -          Pour moi, ce n’est pas facile la trouver Ni la séduire, ni la captiver - Je l’ai cherché Mais elle a eu jouer à cache-cache Et je ne l’ai pas trouvé. Copyright © 2015 by Parole: Emanuel Galvão /  Traduction : Joseli Rêgo Lopes All rights reserved. Poeminha Traquino Eu procurei a poesia E tinha ela ido brincar na minha infância

Outono (Marla de Queiroz)

Imagem
ou to no presente ou to no tempo errado. *Foto Marla de Queiroz em  Le Jarden des Tuleries, Paris, France.