MÃE (Caetano Emanuel Viana Teles Veloso)




Palavras, calas, nada fiz
Estou tão infeliz
Falasses, desses, visse não
Imensa solidão


Eu sou um Rei que não tem fim
Que brilhas dentro aqui
Guitarras, salas, vento, chão
Que dor no coração
Cidades, mares, povo, rio
Ninguém me tens amor
Cigarra, camas, colos, ninhos
Um pouco de calor
Eu sou um homem tão sozinho
Mas brilhas no que sou
E o teu caminha e o meu caminho
É um nem vais nem vou
Meninos, ondas, becos, mãe
E só porque não estais
És para mim que nada mais
Na boca das manhãs
Sou triste, quase um bicho triste
E brilhas mesmo assim
Eu canto, grito, corro, rio
E nunca chego a ti.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)

'A Minha Avó Dizia-me...' (Paola Klug)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

Receita Para Arrancar Poema Preso (Viviane Mosé)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)