A Missão (Sidney Wanderley)



Todas as palavras e despalavras
que haviam de ser ditas, malditas
-todas-,
já o foram.

Mesmo o silêncio, fala sem voz,
em seus inumeráveis disfarces e variações
-todos-,
já se fez.


Por isso beber horizontes ou vomitar espantos,
estudar Platão ou os equinodermos,
xingar uma fruta, padecer de amídalas,
dormir sobre pregos ou ao som de Haydn
tornam-se-me indiferentes.

Por isso é que escrevo:
para dar fé e testemunho de minha humana condição
e sua soberba inutilidade:
para nada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Eu Te Desejo (Flávia Wenceslau)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

Harmonia (Marla de Queiroz)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

'Eu desejo que você consiga...' (Marla de Queiroz)

O Tempo (Roberto Pompeu de Toledo)