ELEGIA DA MÚSICA INVASORA (João Pinheiro de Andrade Lyra)


Certa música interna e azul me invade,
e o coração domina, e minha vida;
e o cérebro se esforça , mas duvida,
se é dor não sabe, ou se é felicidade...

E alegria não há, que tanto agrade
Meu ser que ao percebê-la se intimida,
e os mil arpejos teme da querida
e inspirada regência da saudade!

E a execução, que as vezes tanto dura,
tem sempre a mesma e bela partitura
que não sacia, mas abranda a fome

que teu amor, só ele, mataria,
pois essa intermitente sinfonia,
que me maltrata e alegra, tem teu nome!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Eu Venho de Lá... (Rita Maidana)