A CALÇADA ( Eduardo Proffa)



Os homens vão chegando
Um a um
Vestem seus trajes empoeirados
Dos dias anteriores
Em que não tiveram sonhos
Em que não tiveram amigos



No outro lado
Uma mulher retira
A vasta cabeleira de terra
Que encobre a calçada

E a vassoura (cúmplice)
Varre
Sai
Sai
Sai
Sai...

A terra vai saindo
Chorando em pó
Não querendo
Desfazer o romance
Com a calçada

Da construção
Os homens se apercebem disso
E martelam metais
Martelam madeiras
Vestem tijolos
Com suas roupas

E novamente o pó
Entrega-se ao vento
Bailando docemente
Ao som das ferramentas
Pousando aos poucos
Na linda calçada
Limpa calçada
Fazendo-a sorrir
Novamente.

Copyright © 2013 by Eduardo Proffa
All rights reserved.

Gostou? Compartilhe nas redes sociais.

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Deixe seu comentário. Ele é importante para nós. Apos verificação ele será publicado.

Curta A Nossa Fanpage

Novo Livro

Novo Livro
Você pode compra-lo ligando para (82) 99653-4849

Desfrute, leia, curta e compartilhe boa leitura. Volte sempre!

O que está procurando?

Muito grato pela sua visita. Visita de Nº




Instagram

Recent In Internet

Poesia em seu Smartphone ou Iphone

Poesia em seu Smartphone ou Iphone
use seu leitor de Qr Code

Receba Novidades

RECEBA GRATUITAMENTE NOVIDADES DO BLOG!

Coloque seu e-mail abaixo:

Poesia Galvaneana