LÍNGUA (Emanuel Galvão)



Quisera fazer versos
Como quem com ardor
Beija uma mesma boca
Buscando obter da mesma língua
Novos e singulares universos.
A fúria das palavras nunca ditas
Aquelas que vivem ainda à míngua
De não ter chegado sua vez
E por se encontrar tal qual sobejo
Sonham assim aflitas
Como lábios que procuram com avidez
Sabores diferentes em cada novo beijo.

Quisera, pois, beijar tua boca
Pensando ser sempre a primazia.
Para quando dispor da mesma língua
Sentir afim, novo desejo
Criar enfim, nova poesia.


Copyright © 2007 by Emanuel Galvão
All rights reserved.



Gostou? Compartilhe nas redes sociais.

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Deixe seu comentário. Ele é importante para nós. Apos verificação ele será publicado.

Curta A Nossa Fanpage

Novo Livro

Novo Livro
Você pode compra-lo ligando para (82) 99653-4849

Desfrute, leia, curta e compartilhe boa leitura. Volte sempre!

O que está procurando?

Muito grato pela sua visita. Visita de Nº




Instagram

Recent In Internet

Poesia em seu Smartphone ou Iphone

Poesia em seu Smartphone ou Iphone
use seu leitor de Qr Code

Receba Novidades

RECEBA GRATUITAMENTE NOVIDADES DO BLOG!

Coloque seu e-mail abaixo:

Poesia Galvaneana