A MANHÃ (José Minervino Neto)



Traz as cores e as coisas,
Desfaz o encoberto e o mistério.

É a manhã,
O dia.

Enfim, vejo o mundo,
Acordo e não sonho.

O primeiro raio de sol
Da primeira manhã do primeiro dia.

Vem do leste o cheiro da manhã,
Esse dia amarelo.

Respiro esse cheiro,
Possuo o mundo revelado pela manhã.

Acaba o dia, finda a tarde,
A manhã continua em teus olhos.

Copyright © 2013 by José Minervino Neto
All rights reserved.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)

'A Minha Avó Dizia-me...' (Paola Klug)

Receita Para Arrancar Poema Preso (Viviane Mosé)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)