Escambo (Emanuel Galvão)





 Acredito que o amor à primeira vista
Possa parecer fascinante
Acredito em amor a primeira vista!
Mas não acredito que seja cego
- amor finge que não vê –
Porque se distrai
Com coisas lindas e banais
Porque o que os olhos não veem
O coração não sente
Acredite em amores inocentes
Acredite em amores à primeira vista.


Amor deve ser sempre à vista.
Por isso desista
Dos amores à prestação,
Dos amores em promoção,
E principalmente
Os de liquidação
Têm sempre noventa por cento
De o saldo dar errado
– amores desesperados –

Amor tem que ter crédito
Mas não se paga com cartão
Amor se paga com amor
Amor é escambo!
– primitivo amor que dá e recebe –
Onde beijos e carícias
São moedas fortes.

Amores de valores
Não estão disponíveis em bolsas
Não permitem sociedade anônima
Não podem ter paralelos, nem é comercial.
Amor que é amor, não se abala:
Com boatos ou especulações
- sentidos e corações –
Não se fiscaliza, nem se assegura em contrato.
Amor enxerga...
Mas acredite!
Lidar com amor

É uma questão de tato.

Copyright © 2007 by Emanuel Galvão
All rights reserved.

Comentários

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ele é importante para nós. Apos verificação ele será publicado.

Postagens mais visitadas deste blog

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Eu Te Desejo (Flávia Wenceslau)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

Harmonia (Marla de Queiroz)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

'Eu desejo que você consiga...' (Marla de Queiroz)

O Tempo (Roberto Pompeu de Toledo)