A Noite Reinventada ( Francisco Valois)



A noite se reinventa e a lua tece,
na transparência azul do céu tarjado,
a lírica canção de amor que, em prece,
o vento me segreda.  Deslumbrado,


no olhar retenho a rosa que floresce
na quietude do campo serenado
e sugere um valeiro que alvorece
na solidão do porto abandonado;

e nessa solidão que o porto habita,
onde a maré vazante não se agita
exila-se a saudade primitiva:

- o gesto de um adeus acontecido
remanesce no olhar entardecido,
como sombra lunática, opressiva.


(Livro A Noite Reinventada Pg 17 - Edições Catavento)

Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

É a Vida - That's Life (Kelly Gordon / Dean Kay) Tradução

Eu Venho de Lá... (Rita Maidana)

Eu Te Desejo (Flávia Wenceslau)

História pra Ninar Gente Grande (Manu da Cuíca/ Luiz Carlos Máximo/ Vitor Arantes Nunes/ Sílvio Moreira Filho e Ronie Oliveira)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)