POR QUE...? (Valderez de Barros)




Por que minh'alma é assim triste, carente?
Por que me pesa tanto, a solidão?
Por que o amor que sinto em mim, ardente,
Não encontra eco num outro coração?

Por que é tão difícil de encontrar
Minha alma gêmea, minha outra metade
Que tanto almejo, para completar
Minha vida, minha felicidade? 

Por que deixo o tempo se adiantar,
E não o impeço de me ultrapassar,
Correndo, bem rápido, à sua frente? 

Por que esse marasmo tão deprimente,
Se há tanta vida em mim, presa, latente,
Querendo vir à tona, se mostrar...?

Copyright ©out /2012
By Valderez de Barros
All rights reserved.

*veja mais da autora aqui:

Comentários

  1. Emanuel, é uma honra e um enorme prazer, ver esses dois sonetos meus postados aqui no teu blog.Obrigada, meu amigo poeta!!! Grande abraço!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Valderez!

      A honra é toda minha, grande poeta. Os sonetos são lindos... E dizem muito, se acomodam na gente, pela sonoridade, beleza e claro, pelo que dizem.

      Grande abraço menina!

      Emanuel Galvão

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ele é importante para nós. Apos verificação ele será publicado.

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

'Somos queijo gorgonzola' (Maitê Proença)

PESSOAS VÃO EMBORA... (Marla de Queiroz)

TEM GENTE QUE TEM CHEIRO... (Ana Jácomo)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)