Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)

Imagem
Você já figura no meu coraçãoDescalça e sem roupa como num salãoTão bela e tão doce, mulher sem limitesQuem dera que fosse... E assim exististesDançando ao ritmo de minha pulsação.Não cabes em rótulos, por que caberias?Palavras ou versos, talvez te seduza...Então, só então, tu abras tua blusaE ardente, insana, tu permitiriasVolúpias intensas de terna paixão.Porque minha pele não te resistiriaEs bela não nego, sou tão negligenteForas apenas bela, mas és inteligenteNão encontro virtude que assim a alcanceMelhor te amar, assim de relanceSem ilusões, sem juras de amorRomance de flor, sem dor sem espinhoCaindo as pétalas, restará: odor e carinhoAssim em meu sonho, te possuo inteiraTe amando pleno, não de qualquer maneira.
Copyright © 2020 by Emanuel Galvão
All rights reserved.

*Foto by: Ana Cruz

Senhora dos Prazeres (Ronaldo de Andrade / Mácleim)

                                                                     
 
Rainha de terra e mar
Senhora do azul do céu
Iara da Mundaú
Sereia das enseadas
Mãe d’água de Maceió
Sua graça é dos prazeres

Ó senhora das auroras
Estrela da madrugada
Que ilumina a cidade
Para dançar e tocarem
Bois e tambores nas ruas
De lá da Ponta da Terra
Te rendemos homenagens

Ó Iá da prosperidade
Mãe dos homens de fé
Jangadeiros, Trapicheiros
És também a flor do amor
Que adorna os terreiros
Encarnados da paixão
No Poço e no Jaraguá

Minha Mestra e Contra Mestra
Pastorinha do presépio
Diana do pastoril
Com manto faixa e coroa
E sete rosas na mão
Tanta graça, tanto mimo

Tá no badalar dos sinos
Nas torres perto de Deus
Da catedral onde moras
Ao brilho de sol e lua
Nos temporais e no estio
Encantai nossos cantores
Ó Senhora dos Prazeres.




Comentários

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ele é importante para nós. Apos verificação ele será publicado.

Postagens mais visitadas deste blog

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Felicidade (Vicente de Carvalho)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)