Brincadeira (Mírian Monte)


Foi brincar de lua,
Percebeu-se nua,
Em meio às estrelas
E conchas do mar

Umas maldiziam,
Em tom de cochicho,
O puro capricho
De se revelar

Dela se queixavam,
Outras, amiúde,
Por sua atitude
De se desnudar

E argumentavam
Que não poderia
Inspirar solfejos
À brisa do mar

Mas a lua cheia
Tão resplandecente
Estava indiferente
E decidiu brilhar

No fundo, sabia
Que sua ousadia
Só despertaria
Sonhos de mudar

Que agradeceriam
Em fase derradeira
Pela brincadeira
De iluminar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Votos (Sérgio Jockymann)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

CANA DE AÇUCAR (Emanuel Galvão)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

VEM (Emanuel Galvão)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)