Brincadeira (Mírian Monte)


Foi brincar de lua,
Percebeu-se nua,
Em meio às estrelas
E conchas do mar

Umas maldiziam,
Em tom de cochicho,
O puro capricho
De se revelar

Dela se queixavam,
Outras, amiúde,
Por sua atitude
De se desnudar

E argumentavam
Que não poderia
Inspirar solfejos
À brisa do mar

Mas a lua cheia
Tão resplandecente
Estava indiferente
E decidiu brilhar

No fundo, sabia
Que sua ousadia
Só despertaria
Sonhos de mudar

Que agradeceriam
Em fase derradeira
Pela brincadeira
De iluminar.

Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

CANA DE AÇUCAR (Emanuel Galvão)

Eu Te Desejo (Flávia Wenceslau)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

MULHER PROLETÁRIA (Jorge de Lima)