Canto e Palavra (Affonso Romano de Sant'Anna / Eliezer Setton)

Foto: Lícia Peixoto

Todo homem é vário.
Vário e múltiplo. Eu sou
menos:  Sou duplo
e me contento com o que sou.

Sou primeiro o canto
e o que cantou
e só depois – palavra
e o que falou.

Quereis saber
como eu faço
ou de mim como eu quero?
É fácil:...

Difícil é demarcar
o limite, o dia, o instante
em que o homem
de seu canto se destaca,
em que o homem se desfaz...

Em que o homem
se destaca e se desfaz...
Em que o homem...
Todo homem...


Todo homem é vário.

Vário e múltiplo.





                                                                                          

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Eu Venho de Lá... (Rita Maidana)