MEU SERTÃO ESTÁ DE LUTO (Romero Baia)



Meu sertão fica mais triste
Quando morre um vaqueiro
E se ele for sanfoneiro
O sertanejo não resiste 
Grita esperneia e persiste
Asa branca pobre bichinho
Agoniada foge do ninho
Em busca do som do baião 
Morreu seu Dominguinhos
Sucessor do
Gonzagão 


Fica a pergunta no ar
De quem será a sanfona
De um dono ou de uma dona
Que possa nos alegrar
Tem que saber animar
Como animou
Gonzagão

No xote xaxado baião
Sem o fole rasgar
Seja ligeiro na mão
Quinem voo de carcará

Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

Eu Te Desejo (Flávia Wenceslau)

'Eu desejo que você consiga...' (Marla de Queiroz)

Olhos (Ademir João da Silva)

Harmonia (Marla de Queiroz)

Elogio ao Desejo (Emanuel Galvão)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)