TAPETE (Mauro Fabiani)



Senhora do riso largo
que abocanha o meu desejo,
desejo de ser bem recebido
por um tapete de boas vindas avermelhado,
sua língua é este tapete mágico
que me levaria ao céu da sua boca,
céu das mil e uma noites,
noites de um beijo tão sonhado

Sua língua, tapete róseo encarnado, molhado,
deixa-me com água na boca, maravilhado



*veja mais do autor aqui:




Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Mauro Fabiani). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)

'A Minha Avó Dizia-me...' (Paola Klug)

Receita Para Arrancar Poema Preso (Viviane Mosé)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)