Deu Branco - O Patético Dia Que a Coisa Ficou Preta - (Emanuel Galvão)




A coisa ficou preta
Pintou preconceito
Isso eu não aceito
Dentro da minha letra
Que não tem cor
Mas imprime o preto da tinta

Tem preconceito maior
- Por favor, não minta! –
Do que atribuir a cor preta
A coisa ruim que se sinta?
Talvez a borracha branca
Apague a ideia nefasta
Mas não afasta
Mancha...

O preconceito racial existe
Na letra, na vida, no verso
Faz parte do universo
De quem ama
De quem odeia
O preto reclama
Por que sente na pele
O preconceito que o rodeia

Pode parecer eufemismo
Mas para mim é racismo
Dizer que a coisa ta preta.


Copyright © 2018 by Emanuel Galvão
All rights reserved.




Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

'Somos queijo gorgonzola' (Maitê Proença)

PESSOAS VÃO EMBORA... (Marla de Queiroz)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

TEM GENTE QUE TEM CHEIRO... (Ana Jácomo)

FICO ASSIM SEM VOCÊ (Abdullah / Caca Moraes)

CANA DE AÇUCAR (Emanuel Galvão)