A Caixa de Brinquedos (Rubem Alves)

Imagem
  A idéia de que o corpo carrega duas caixas —uma caixa de ferramentas, na mão direita, e uma caixa de brinquedos, na mão esquerda— apareceu enquanto eu me dedicava a mastigar, ruminar e digerir santo Agostinho. Como você deve saber, eu leio antropofagicamente. Porque os livros são feitos com a carne e o sangue daqueles que os escrevem. Dos livros, pode-se dizer o que os sacerdotes dizem da eucaristia: "Isso é o meu corpo; isso é a minha carne". Santo Agostinho não disse como eu digo. O que digo é o que ele disse depois de passado pelos meus processos digestivos. A diferença é que ele disse na grave linguagem dos teólogos e filósofos. E eu digo a mesma coisa na leve linguagem dos bufões e do riso. Pois santo Agostinho, resumindo o seu pensamento, disse que todas as coisas que existem se dividem em duas ordens distintas. A ordem do "uti" (ele escrevia em latim ) e a ordem do "frui". "

Uma Paixão Sedutora (Socorro Monteiro)



Um dia um homem apaixonado por uma arte me contaminou com o vírus da sedução das imagens com a mesma avidez do poeta que atrai pela palavra. E como a terra que faz nascer a semente nas suas entranhas, ele fez germinar dentro de mim o interesse de viajar no mundo do cinema.
E foi assim que novos ventos trouxeram tardes chuvosas intermeadas de sol, manhãs alegres e aconchegantes noites de inverno, onde o calor da coberta dá o conforto do descanso e o prazer de continuar deitado. Essas sensações agradáveis a qualquer sertanejo, são nuances do estado de espírito vivenciado quando se assiste ao bom filme. O bom é poder viajar na imaginação vendo especificidades culturais que o cinema nos proporciona e recriar na própria imaginação a grandeza da influência da fábrica de sonhos.
Um dia, esse homem que sabe muito bem decifrar os códigos da comunicação de várias maneiras, conquistou-me. A princípio foi curiosidade, depois atenção pela dedicação. Ele saiu escrevendo em todos os quadros murais da faculdade o convite para vê um filme que o alunado não poderia perder. Fiquei impressionada! Que filme é esse que faz com que uma pessoa no final do expediente noturno suba escada e desça escada convidando pessoas á assistir? E foi assim que conheci "O CARTEIRO E O POETA". E também foi assim que conheci um pouco a alma cinéfila de ELINALDO BARROS. 



Professor querido, foi você que me levou a apreciar a sétima arte. 
Obrigada por isso. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Tempo (Roberto Pompeu de Toledo)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

Eu Te Desejo (Flávia Wenceslau)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)