O SERTÃO TEM SEUS ENCANTOS (Socorro Monteiro)


Foto: Socorro Monteiro

Povo na beira da estrada, casa branquinha caiada,
na porta a inscrição: deus proteja essa casa e não deixe faltar nada 
nem comida nem remédio e livre nóis do inferno da fome da sequidão



Menino só de calção, sem camisa e sem chapéu 
caminha pelas estradas com uma peteca na mão
a cara toda rajada, sem se preocupar com nada, 
buchudo de pé no chão,

Um burrinho carregado, pelo dono açoitado
nas costas o suor se espalha, 
e na agonia do caminho vai xotando com o velhinho 
bem no meio da cangalha

No caminho tem uma cerca, mais na frente uma cancela,
pra poder chegar no rio, tem que se passar por ela
lá está a lavadeira, com a roupa toda molhada, 
dá até pra vê suas curvas bem de longe da estrada

Ao longe se ouve chocalho, tocando na capoeira, 
acompanhado de berros se aproxima a cabroeira 
são bodes, ovelhas, cabras 
que veem em busca da água e começa a bebedeira.

Quem passar pelo sertão vai vê doutor muito mais: 
vai vê criança brincando, veio e novo conversando, 
as moça se perfumando e na janela ficando pra vê se pega um rapaz.



Copyright © 2013 by Socorro Monteiro
All rights reserved.



Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

'Somos queijo gorgonzola' (Maitê Proença)

PESSOAS VÃO EMBORA... (Marla de Queiroz)

TEM GENTE QUE TEM CHEIRO... (Ana Jácomo)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)