AGORA JAZ (Marla de Queiroz)




Eretas tuas palavras,
imponente teu discurso
viril todo o teu porte.
E o tempo estendido
empregado em discorrer
sobre as tuas qualidades
e sobre o meu decote.

Foi forte a sedução
desse teu corpo quente,
pegada obstinada.
A argúcia e a certeza
de que eu era a
tua presa adequada.

Mas bem na hora exata
da entrega insensata
em que me fiz constante,
fiel àquele instante...
Tua fala feito faca
soberba, inesperada.

Desisto na hora certa
mesmo te parecendo errada:
pois transo com pessoas,
pra estas eu me entrego.
Não trepo com seus egos.


*veja mais da autora aqui:

Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

Ela é Mar (Ademir João da Silva)

Só quem vive bem os agostos é merecedor da primavera! - Miryan Lucy de Rezende

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

'Eu te convido...' (Marla de Queiroz)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

O MEU PAíS (Livardo Alves, Orlando Tejo, Gilvan Chaves)