CORAÇÕES FRAGMENTADOS (Emanuel Galvão)



Quantas vezes amará um coração fragmentado?
Quantos desertos atravessará em sua solidão?
A resposta está, tão somente, na perfeita aptidão
Que tem o coração para ser cruelmente maltratado.

Às vezes acho, que nunca mais amarás
Que nunca, nunca mais haverá sofrimento
Pois ora vejo, bateres descadenciado e lento
E firme nessa decisão, não voltarás atrás.

Mas percebo ajuntares os teus fragmentos
Na carência pérfida dos solitários momentos
Em que a pele implora por prazer.

E tu, coração apaixonado, teimas em ceder
Apostando na alegria, coração sem juízo
Quase se deixando abater, bates, amar é preciso.

Copyright © 2007 by
All rights reserved.

Comentários

  1. AH! quantas vezes me senti assim,fragmentada,com coração em pedaços.Mas, não é que o danado do coração sempre dá um jeitinho de se recuperar? kkkkkkkkkkkkkkk Emanuel,vc é um apaixonado poeta,é deste tipo de poeta que gosto,que transborda a paixão que tem em suas poesias, com tamanha elouqüência que quem lê fica também apaixonado.Obrigada pelo prazer que tenho ao ler suas poesias!Excelentes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elisabeth!

      Sempre muito feliz com seus comentários.
      Obrigado!
      Grande abraço!

      Emanuel Galvão

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ele é importante para nós. Apos verificação ele será publicado.

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

'Somos queijo gorgonzola' (Maitê Proença)

PESSOAS VÃO EMBORA... (Marla de Queiroz)

TEM GENTE QUE TEM CHEIRO... (Ana Jácomo)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)