Canção Mínima (Cecília Meireles)


No mistério do sem-fim
equilibra-se um planeta.

E, no planeta, um jardim,
e, no jardim, um canteiro;
no canteiro uma violeta,
e, sobre ela, o dia inteiro,

entre o planeta e o sem-fim,
a asa de uma borboleta

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Eu Venho de Lá... (Rita Maidana)