O CORAÇÃO DOS OUTROS É TERRA QUE NINGUÉM VAI (Emanuel Galvão)



Como saber...
Ter a certeza
Nem precisava ser certeza
Poderia ser talvez
Poderia ser quem sabe
Qualquer coisa que desse
Um pouquinho de esperança
Só não pode ser mais ninguém
Mas coração é terra que ninguém vai
Por isso quando me perguntam
O que eu mais gostaria de ser
Apesar de ninguém entender
Eu queria ser ninguém
Para visitar teu coração
E a partir dele todo resto
Pois se ninguém pode
Eu posso
Se ninguém se atreve
Sou ousado
Quero ser teu
Tu serás minha
E no ímpeto de coragem
Esquecendo minha timidez
Peguei o telefone, liguei
Tu atendeste, fiquei calado
O teu alô repetitivo
Quase que desesperado
Ao que respondestes a indagação de alguém
- como que sabendo do meu amor –
- Quem era?
- Ninguém!
E desligou.

Copyright © 2007 by Emanuel Galvão
All rights reserved.



Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

'Somos queijo gorgonzola' (Maitê Proença)

PESSOAS VÃO EMBORA... (Marla de Queiroz)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

TEM GENTE QUE TEM CHEIRO... (Ana Jácomo)

FICO ASSIM SEM VOCÊ (Abdullah / Caca Moraes)