Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)

Imagem
Você já figura no meu coraçãoDescalça e sem roupa como num salãoTão bela e tão doce, mulher sem limitesQuem dera que fosse... E assim exististesDançando ao ritmo de minha pulsação.Não cabes em rótulos, por que caberias?Palavras ou versos, talvez te seduza...Então, só então, tu abras tua blusaE ardente, insana, tu permitiriasVolúpias intensas de terna paixão.Porque minha pele não te resistiriaEs bela não nego, sou tão negligenteForas apenas bela, mas és inteligenteNão encontro virtude que assim a alcanceMelhor te amar, assim de relanceSem ilusões, sem juras de amorRomance de flor, sem dor sem espinhoCaindo as pétalas, restará: odor e carinhoAssim em meu sonho, te possuo inteiraTe amando pleno, não de qualquer maneira.
Copyright © 2020 by Emanuel Galvão
All rights reserved.

*Foto by: Ana Cruz

CÍNICO (Emanuel Galvão)



O meu menino é assim: Sincero
Pelo menos é o que espero
Quando ele me diz coisas que qualquer mulher gosta de ouvir
Quando me beija a pele, começa sempre pela boca
E pra me deixar completamente louca
Percorre todo resto como um explorador
em terra nunca vista 
Consegue ser o meu amor
Carinhoso e detalhista
Em partes tão escondidas, tão sensíveis que me fazem rir
Sabe meu canto predileto
Cínico
Que conhecendo perfeitamente a geografia do meu corpo
Perde-se nele por completo
Pra poder redescobrir
Fingir que é novidade....
Nem sei se é por maldade
Que ele age assim
Pra poder me deixar com saudade
Dessa masculinidade que brinca
Feito criança
E me faz ter esperança
De tê-lo sempre pra mim.


(Emanuel Galvão - Livro Flor Atrevida - Quadrioffice/2007)


Comentários

  1. Minha nossa, que lindo lindo lindo, amei cada palavra ..

    ResponderExcluir
  2. Olá Anny!

    Muito obrigado, fico feliz que tenha gostado.
    Este blog está sempre a seu dispor. Imprima, Compartilhe, curta...
    Volte sempre!

    Grande abraço!

    Emanuel Galvão

    ResponderExcluir
  3. Muito bom, Emanuel. Sua poesia é bonita e bem estruturada. Abraço,
    JAC

    ResponderExcluir
  4. adorei o poema,e gostei demais do livro.
    sua poesia é "simples como água bebida na concha da mão."

    simples e linda!
    abraços poeticos.

    ResponderExcluir
  5. adorei o poema,gostei demais do livro.
    Sua poesia é "simples como água bebida na concha da mão"
    simples e linda!
    abraços poeticos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marta!
      Muito obrigado pelo carinho de sempre.
      Beijo no seu coração.

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ele é importante para nós. Apos verificação ele será publicado.

Postagens mais visitadas deste blog

Os Votos (Sérgio Jockymann)

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Só quem vive bem os agostos é merecedor da primavera! - Miryan Lucy de Rezende

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

O Poeta Diante de Deus (Jorge de Lima)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)