Olhos (Ademir João da Silva)




Olhos que prendem
como o visgo prende o passarinho

Olhos que fazem
perder-se o íntimo

Olhos nítidos
que fisgam para o seu cristalino

Neste lago há redemoinhos
Que engolem o coração
Tesão, tensão, paixão

Olhos da medusa?
Com certeza olhos da deusa

Olhos vivos

Olhos craúna

O que há no fundo destas minas?
Rubis...topázio...destinos

Que destino?
Náufrago é, quem mergulha neles.



Copyright © 2019 by Ademir João da Silva
All rights reserved.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

Receita Para Lavar Palavra Suja (Viviane Mosé)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

CÍNICO (Emanuel Galvão)

PESSOAS VÃO EMBORA... (Marla de Queiroz)