Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)

Imagem
Você já figura no meu coraçãoDescalça e sem roupa como num salãoTão bela e tão doce, mulher sem limitesQuem dera que fosse... E assim exististesDançando ao ritmo de minha pulsação.Não cabes em rótulos, por que caberias?Palavras ou versos, talvez te seduza...Então, só então, tu abras tua blusaE ardente, insana, tu permitiriasVolúpias intensas de terna paixão.Porque minha pele não te resistiriaEs bela não nego, sou tão negligenteForas apenas bela, mas és inteligenteNão encontro virtude que assim a alcanceMelhor te amar, assim de relanceSem ilusões, sem juras de amorRomance de flor, sem dor sem espinhoCaindo as pétalas, restará: odor e carinhoAssim em meu sonho, te possuo inteiraTe amando pleno, não de qualquer maneira.
Copyright © 2020 by Emanuel Galvão
All rights reserved.

*Foto by: Ana Cruz

'Comprometa-se Com a Felicidade' (Marla de Queiroz)


A vida não é fácil. Ninguém nos garantiu que seria. Viver exige esforço, gratidão e autoconhecimento para ser mais leve. Autopiedade não tira ninguém da tristeza. A culpa e o arrependimento não mudam o passado. O que pode ser feito daqui para frente é onde mora o crescimento. Sofrimentos podem ser grandes ensinamentos e não motivos para lamentações infindáveis. Ter pena de si mesmo é um grande autodesprezo porque não temos pena de quem admiramos. A solitude é saudável. A solidão vicia e só nos invade quando não somos solidários. Pedir ajuda é um ato de humildade, mas não espere que o Outro resolva as coisas para você: até para levantar da cama diariamente, é necessário um esforço próprio. Temos em nossas mãos o poder da superação, do renascimento. A ansiedade nos deixa preocupados, a ação nos ocupa e nos faz produtivos. E o amor, este precisa alcançar dimensões muito maiores, começando por incluir nós mesmos através do perdão. Quando não estamos nos gostando, estamos agindo destrutivamente e cavando o nosso próprio desconforto. Ninguém é responsável por isto. Uma relação afetiva pode ser a experiência mais bonita ou a mais nociva. Tudo depende dos valores que desenvolvemos e das coisas que acreditamos merecer. Não aceite menos do que você merece: sinceridade, cuidado, carinho, paciência, compreensão, credibilidade, apoio, amor. Preserve-se, mas aceite as mudanças com a curiosidade que as crianças têm: confiando na vida, no mundo, nas pessoas e na sua BOA SORTE. Nada e ninguém têm o poder de te ferir, além de você mesmo. Comprometa-se com a felicidade: ela orientará o seu coração.

Veja mais sobre Marla de Queiroz aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Felicidade (Vicente de Carvalho)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)