Me Afirmo em Negativas (Mauro Gouvêa)



Não sou muro nem parede
Sou fino fio, tênue rede
que não ampara a alma equilibrista
nem segura a letra que se arrisca.

não sou arrimo nem aprumo
sou escassa sombra, volátil fumo
que escora o verso que escorrega
e não sustenta a rima cega.

Não sou bússola ou sextante
farol acesso ou mirante
que alivia o navegar de Homero.

Não sou o que querem, sou o que quero.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Felicidade (Vicente de Carvalho)

Literatura das Ruas (Sergio Vaz)