Antepasto (Antônio Miranda)


Tudo o que o Poeta escreve
está resumido
numa única palavra: Solidão.

Escrever é distanciar-se do mundo
para poder entendê-lo
é uma forma de morrer.

Viver é outra coisa
ainda que alienada.

Eu trocaria mil rimas
por uma noite de amor.

E trocaria um belo poema
sobre a fome
por um singelo prato de comida.

*veja mais do autor aqui:


Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

Eu Te Desejo (Flávia Wenceslau)

Olhos (Ademir João da Silva)

'Eu desejo que você consiga...' (Marla de Queiroz)

Harmonia (Marla de Queiroz)

Elogio ao Desejo (Emanuel Galvão)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)