FEITO UM HOMEM (Emanuel Galvão)



Eu sempre o notava
Solitário e sério.
Às vezes um sorriso cínico.
Não sei se me amava.
- Seu jeito tão etéreo -
Só sei que me fitava
E me deixava nua
Cada vez que me olhava.
Procurava sempre o ensejo
Para olhar-me, devasso
E me fazer ter desejos
Que me consomem.
Pois, quando me olhava,
Olhava-me feito um homem.

Copyright © 2007 by Emanuel Galvão
All rights reserved.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)

'A Minha Avó Dizia-me...' (Paola Klug)

Receita Para Arrancar Poema Preso (Viviane Mosé)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)