LÁBIOS (Emanuel Galvão)



Lábios:
São mais do que formas arredondadas
Macias, rosadas
Em você,
São as formas adequadas
Do prazer.
São gotas de mel silvestre
São pétalas orvalhadas
São amoras campestres
São sonhos nas madrugadas
Desses que têm sabor
E aroma maravilhosos
São poemas donosos
Líricos, lúbricos, de amor.

Copyright © 2007by Emanuel Galvão
All rights reserved.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

O Tempo (Roberto Pompeu de Toledo)

É a Vida - That's Life (Kelly Gordon / Dean Kay) Tradução