CAMALEOA (Taciana Valença)




Alma esta
Q'inda molhada
De chuva incessante
Adentra na relva
Num verde vibrante
Que rola e  ama
Confunde-se com a grama
Levantando-se azul
Num mar profundo
E deita-se n' areia
Na cor de seu mundo...
Adormecendo vermelha
Ah! Sonhos da paixão
Amarelando de  medo
Dos seus próprios desejos....
Oh! Inquieta alma
De arco íris intensos
Mutantes cores
São teus pensamentos
Que cor tem agora
Teu novo intento?

(Taciana Valença)

*veja mais sobre a autora aqui:
                                           ou aqui:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Votos (Sérgio Jockymann)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

O Tempo (Roberto Pompeu de Toledo)