O QUERER (Emanuel Galvão)


Mulher
Como quisera beber da tua fonte
Banhar-me na lubricidade do teu corpo
E ver-me, assim, feito um menino
No teu colo.


Pois, que um homem mesmo força
Às vezes necessita ser amparado
Mesmo tendo-te
Padece de insegurança.

Como quisera descobrir um só desejo
Nesses olhos buliçosos de menina
E dos silentes lábios
Mais que um beijo
Socorra as minhas dúvidas de criança.

Pois, que o destino que une
Às vezes, separa
E os olhos que vislumbram
Se turvam encharcados na lembraça.

Mulher
Como quisera ter-te com loucura
Desfrutar do teu corpo com doçura
E receber teu abraço na alegria.

Pois, que um homem às vezes é poeta
Mas, quando ama
É exaustão , é êxtase, é vida e poesia.

Emanuel Galvão (Livro Flor Atrevidas - Editora QuadriOffice/2007)

Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

'Somos queijo gorgonzola' (Maitê Proença)

PESSOAS VÃO EMBORA... (Marla de Queiroz)

TEM GENTE QUE TEM CHEIRO... (Ana Jácomo)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)