Nenhuma Qualquer (Paulo Miranda Barreto)


Meu bem. . .
mulher nenhuma
é ‘qualquer uma’

nem tem
que bem- querer
quem mal lhe quer . . .

meu bem
toda mulher
é supra e suma

orquídea
que perfuma
se quiser . . .

qualquer mulher
é todas. . .
doce Luma

porém,
mulher alguma
é ‘uma qualquer’. . .

PAULO MIRANDA BARRETO
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição CompartilhaIgual 4.0 Internacional -.

Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

Eu Te Desejo (Flávia Wenceslau)

Olhos (Ademir João da Silva)

'Eu desejo que você consiga...' (Marla de Queiroz)

Harmonia (Marla de Queiroz)

Elogio ao Desejo (Emanuel Galvão)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)