Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)

Imagem
Você já figura no meu coraçãoDescalça e sem roupa como num salãoTão bela e tão doce, mulher sem limitesQuem dera que fosse... E assim exististesDançando ao ritmo de minha pulsação.Não cabes em rótulos, por que caberias?Palavras ou versos, talvez te seduza...Então, só então, tu abras tua blusaE ardente, insana, tu permitiriasVolúpias intensas de terna paixão.Porque minha pele não te resistiriaEs bela não nego, sou tão negligenteForas apenas bela, mas és inteligenteNão encontro virtude que assim a alcanceMelhor te amar, assim de relanceSem ilusões, sem juras de amorRomance de flor, sem dor sem espinhoCaindo as pétalas, restará: odor e carinhoAssim em meu sonho, te possuo inteiraTe amando pleno, não de qualquer maneira.
Copyright © 2020 by Emanuel Galvão
All rights reserved.

*Foto by: Ana Cruz

A Palavra Pessoa (Emanuel Galvão)



Andei por ai
à cata de palavras
como quem anda à procura de um amigo
para preencher o vazio
da solidão.
Dei-me conta do perigo
desse despertar tardio
dessa sonâmbula solução.

Precisa-se de um amigo
em pessoa
-"a palavra pessoa hoje não soa bem,
pouco me importa"-*

Amigo é aquela pessoa
com a qual a gente pode contar
sem saber matemático,
dividir momentos,
somar ideias e ideais,
multiplica-los
e até subtrai-los,
chorar e rir
até não poder mais.

Amiga é aquela pessoa
que diz verdades dolorosas
e mentiras saborosas
mas nem sempre nessa ordem
adjetiva os faz.

Amiga é aquela pessoa
que nunca repara na desordem
da nossa casa, mas olha sempre,
a da nossa vida.
Tem sempre uma palavra de acolhida
ou um silêncio que fala tudo...
amigo diz e fica mudo.

Amigo perdoa também.
Perdoa até o que não tem perdão,
amigo, perdoa ingratidão.

Amigo é algo que não precisa
de explicação,
basta a alegria de estar perto,
amigo é um oásis no deserto
é a família que nós escolhemos.
Instrumentos de Deus são os amigos,
merecem com certeza
- como diria Paulo Sant'Ana** -
nossa egoísta oração.

Essa pessoa
a quem chamamos de amigo
traz o segredo profundo da comunhão,
onde se dissipa toda e qualquer solidão.

Copyright © 2015 by Emanuel Galvão
All rights reserved.

Do livro Flor Atrevida - Editora QuadriOffice pag. 21 - 2007


* Antonio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes (Cantor e compositor - na música: Conheço o Meu Lugar)
Veja mais aqui!

**Jornalista, cronista e escritor - no texto: Nossos secretos amigos.
Veja mais aqui!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

Só quem vive bem os agostos é merecedor da primavera! - Miryan Lucy de Rezende

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Se Voltares (Rogaciano Leite)

Reinauguração (Carlos Drummond de Andrade)