Desabafo do Poeta (Manoel Cícero do Nascimento)



No mundo da teimosia
entre a tristeza e a arrogância,
é tão triste a ignorância,
tão cruenta e tão mordaz
que a própria sabedoria
de tudo sabendo tanto
não pode saber do quanto
o ignorante é capaz.


 (Do poeta Manoel Cícero do Nascimento, alagoano de Coqueiro Seco, escrito no início dos anos 60, porém, muito atual)
José Alberto Costa

Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

Só quem vive bem os agostos é merecedor da primavera! - Miryan Lucy de Rezende

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

Felicidade Realista (Martha Medeiros)

Ela é Mar (Ademir João da Silva)

'Eu te convido...' (Marla de Queiroz)