Ressaca (Elizete Sartori)



ONTEM
enquanto lias meu olhar
nem imaginavas
que minha poesia
desenhava um mapa de desejos
nas curvas do teu corpo

HOJE
de ti distante...
bebo tua ausência
e me embriago de saudades...
e uma ressaca nos versos que escrevo
deixa esse gosto amargo de solidão
e meu pobre corpo
desabitado

Copyright © 2014 by Elizete Sartori
All rights reserved.

Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

'Somos queijo gorgonzola' (Maitê Proença)

PESSOAS VÃO EMBORA... (Marla de Queiroz)

TEM GENTE QUE TEM CHEIRO... (Ana Jácomo)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)