Ressaca (Elizete Sartori)



ONTEM
enquanto lias meu olhar
nem imaginavas
que minha poesia
desenhava um mapa de desejos
nas curvas do teu corpo

HOJE
de ti distante...
bebo tua ausência
e me embriago de saudades...
e uma ressaca nos versos que escrevo
deixa esse gosto amargo de solidão
e meu pobre corpo
desabitado

Copyright © 2014 by Elizete Sartori
All rights reserved.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Literatura das Ruas (Sergio Vaz)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

Reinauguração (Carlos Drummond de Andrade)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

“A mãe será capaz de se esquecer, ou deixar de amar algum dos filhos que gerou?” (Adriana Moraes)