Desconstrução (Fellipe Figueiroa)


Criou daquela vez como se fosse a última.
Fez cada job seu como se fosse o único.
Pensou o dia inteiro e ficou o máximo.
Mandou pro atendimento num e-mail tímido.


Teve que refazer como se fosse máquina.
A campanha reprovada com argumentos sórdidos
Criou mais uma vez outros roteiros mágicos
Esperou aprovação como se fosse lógico.

O cliente não gostou e aconteceu o trágico:
Pediu pra refazer como se fosse um príncipe.
Tentou reagir mas se sentiu estático.
Pensou mais uma vez no concurso público.

E virou a noite inteira parecendo um bêbado.
Comeu pizza de novo e ficou mais flácido.
Saiu de manhãzinha se sentindo estúpido.
E ainda ter que voltar pra terminar no sábado.




Revista Bravo, dezembro de 2009 pag. 43 (Bravo! Chico)




Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Eu Te Desejo (Flávia Wenceslau)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

Os Votos (Sérgio Jockymann)