FASCÍNIO (Affonso Romano de Sant'Anna)




Casado, continuo a achar as mulheres irresistíveis.
Não deveria, dizem.
Me esforço. Aliás,
já nem me esforço.
Abertamente me ponho a admirá-las.
Não estou traindo ninguém, advirto.
Como pode o amor trair o amor?
Amar o amor num outro amor
é um ritual que, amante, me permito.

Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

CANA DE AÇUCAR (Emanuel Galvão)

Eu Te Desejo (Flávia Wenceslau)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

MULHER PROLETÁRIA (Jorge de Lima)