Timidez - Eu Que Não Sei Falar de Amor (Emanuel Galvão)

Imagem
  Meu corpo deseja teu calor Volúpia que me faz enlouquecer Com fúria e sem nenhum pudor E a certeza de não te esquecer Eu que não sei falar de amor Resolvi escrever para você As flores exalam seu olor Antes que possam fenecer O sol fornece seu calor Antes da noite o esconder  Eu que não sei falar de amor Resolvi escrever para você Talvez haja um pouco de temor Mas preciso então esclarecer Revelar-me parece libertador Senão, sou capaz de padecer Eu que não sei falar de amor Resolvi escrever para você Das paixões sou colecionador Mas você me fez amolecer Com seu jeitinho encantador E beleza que não posso descrever Eu que não sei falar de amor Resolvi escrever para você Escrever é algo desafiador Mas que se pode aprender Amante não tem procurador Ninguém pode substabelecer Eu que não sei falar de amor Resolvi escrever para você Menina te falo com muito ardor Para você jamais me esquecer Ser poeta ou ser um trovador Nem se compara em te satisfazer Eu que não sei falar de amor Resolvi es

Um Beijo a Distância (Emanuel Galvão)



O que dizer de alguém inefável?
Principalmente sendo esse ser, feminino.
Que de modo intenso e amável
Fez-me sentir: ora homem, ora menino.

Seu gestual trazia tal sutileza
Que meus olhos se iluminaram
A visão de tanta beleza.
Materializava-se como enlevo na natureza,
Seu corpo nu, refletido no espelho.
- o homem meu caro, é a circunstância! -
Sua boca, vestida de vermelho,
Mais parecia um beijo a distância.

Eu que sou tão tímido
E me escondo nos versos, na poesia
Vi-me  tomado de uma libido
De um frenesi, uma fantasia.
Ela era uma mulher. A mulher:
Que se deseja, que se sonha, que se quer.

Há de se convir
Que estar nu, vai mais além
Que se despir!
Já que vos pus cientes das particularidades
Dar-vos-eis conhecer das intimidades.
- Um pouco apenas, compreendam! -

Era uma mulher para ser amada com ousadia
Em seu ouvido eu sussurraria
Palavras cuja paixão inflama
Por onde, não se surpreendam,
Eu começaria
A beijar pelo pé da cama.



Copyright © 2015 by Emanuel Galvão
All rights reserved.


Elogio ao Desejo & Outras Palavras / Emanuel Galvão,
Maceió - AL. - Quadrioffice Editora, Quatro Barras, PR, 2015.
Pag. 95

Comentários

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Ele é importante para nós. Apos verificação ele será publicado.

Postagens mais visitadas deste blog

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

Timidez - Eu Que Não Sei Falar de Amor (Emanuel Galvão)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

Felicidade (Vicente de Carvalho)

Eu Te Desejo (Flávia Wenceslau)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)