Um Beijo a Distância (Emanuel Galvão)



O que dizer de alguém inefável?
Principalmente sendo esse ser, feminino.
Que de modo intenso e amável
Fez-me sentir: ora homem, ora menino.

Seu gestual trazia tal sutileza
Que meus olhos se iluminaram
A visão de tanta beleza.
Materializava-se como enlevo na natureza,
Seu corpo nu, refletido no espelho.
- o homem meu caro, é a circunstância! -
Sua boca, vestida de vermelho,
Mais parecia um beijo a distância.

Eu que sou tão tímido
E me escondo nos versos, na poesia
Vi-me  tomado de uma libido
De um frenesi, uma fantasia.
Ela era uma mulher. A mulher:
Que se deseja, que se sonha, que se quer.

Há de se convir
Que estar nu, vai mais além
Que se despir!
Já que vos pus cientes das particularidades
Dar-vos-eis conhecer das intimidades.
- Um pouco apenas, compreendam! -

Era uma mulher para ser amada com ousadia
Em seu ouvido eu sussurraria
Palavras cuja paixão inflama
Por onde, não se surpreendam,
Eu começaria
A beijar pelo pé da cama.



Copyright © 2015 by Emanuel Galvão
All rights reserved.


Elogio ao Desejo & Outras Palavras / Emanuel Galvão,
Maceió - AL. - Quadrioffice Editora, Quatro Barras, PR, 2015.
Pag. 95

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Eu Te Desejo (Flávia Wenceslau)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

Harmonia (Marla de Queiroz)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

'Eu desejo que você consiga...' (Marla de Queiroz)

O Tempo (Roberto Pompeu de Toledo)