Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)

Imagem
Você já figura no meu coração Descalça e sem roupa como num salão Tão bela e tão doce, mulher sem limites Quem dera que fosse... E assim exististes Dançando ao ritmo de minha pulsação.   Não cabes em rótulos, por que caberias? Palavras ou versos, talvez te seduza... Então, só então, tu abras tua blusa E ardente, insana, tu permitirias Volúpias intensas de terna paixão.   Porque minha pele não te resistiria Es bela não nego, sou tão negligente Foras apenas bela, mas és inteligente Não encontro virtude que assim a alcance Melhor te amar, assim de relance   Sem ilusões, sem juras de amor Romance de flor, sem dor sem espinho Caindo as pétalas, restará: odor e carinho Assim em meu sonho, te possuo inteira Te amando pleno, não de qualquer maneira. Copyright © 2020 by Emanuel Galvão All rights reserved. *Foto by: Ana Cruz    

Tributo à mulher (Cícero Manoel)



                                             
Mulher eu te enalteço
Pela tua valentia,
Pela tua inteligência,
Pela tua maestria,
Por todos os teus conceitos
Na luta por teus direitos
Que cresce a cada dia.

Mulher tu és corajosa,
Mereces muito respeito,
Nunca deixes de lutar,
Lute, pois é teu direito.
És uma grande guerreira,
Mulher a tua bandeira
Eu boto em cima do peito.

O homem é teu dependente,
Sem ti ele não é nada.
És rainha da beleza,
És uma flor delicada.
A criação mais formosa
A joia mais preciosa
A deusa mais venerada.

Pra governar o mundo
Mulher, tu tens vocação,
Governas melhor que o homem
Em qualquer repartição,
Nos milagres do poder
Somente tu podes ser
Nossa grande salvação.

Tu tens bastante talento,
Tudo tens imenso valor,
Na terra tu és o ser
Que inspira mais amor.
Da luta nunca desista
Nesse mundo tão machista
Tu não és inferior.

O homem não é teu dono,
Tenho pena dos teus ais,
Os massacres contra ti
Já foram longe de mais.
Tu não podes ser usada,
Nem tão pouco rebaixada,
Os direitos são iguais.

Tu não és um objeto
Para alguém usar e jogar,
Sem ti a humanidade
No tempo iria parar,
O teu pensar é profundo
Mulher, esse velho mundo,
Ainda vais dominar!

Tu encantas o planeta
Com todo o teu mister,
Tens direito de fazer
Aquilo que convier,
Em meio à paz e a guerra
O que seria da terra
Sem tu, oh bela mulher?!

Sítio Ilha Grande / Santana do Mundaú – AL / 6 de março de 2017

(Todos os direitos reservados)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)