Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)

Imagem
Você já figura no meu coraçãoDescalça e sem roupa como num salãoTão bela e tão doce, mulher sem limitesQuem dera que fosse... E assim exististesDançando ao ritmo de minha pulsação.Não cabes em rótulos, por que caberias?Palavras ou versos, talvez te seduza...Então, só então, tu abras tua blusaE ardente, insana, tu permitiriasVolúpias intensas de terna paixão.Porque minha pele não te resistiriaEs bela não nego, sou tão negligenteForas apenas bela, mas és inteligenteNão encontro virtude que assim a alcanceMelhor te amar, assim de relanceSem ilusões, sem juras de amorRomance de flor, sem dor sem espinhoCaindo as pétalas, restará: odor e carinhoAssim em meu sonho, te possuo inteiraTe amando pleno, não de qualquer maneira.
Copyright © 2020 by Emanuel Galvão
All rights reserved.

*Foto by: Ana Cruz

MAR SEM FIM (Emanuel Galvão)


                                                                         
Foz do rio São Francisco
*para Ana & Alex

                      "Do rio que tudo arrasta, diz-se que é violento. 
                 Mas ninguém chama violentas às margens
                         que o comprimem."
                                                        Bertolt Brecht.

Da nascente do colo meu
Escorreu pequenininho
Quando vi ele cresceu
E seguiu o seu caminho.

Riacho levado ele era
Arteiro e cristalino
Pureza, inquieta quimera
Era assim o meu menino

Mas foi se tornando rio
Foi ficando corpulento
E foi nesse desvario
Que começou o tormento

Mãe não entende de filho
Mãe entende de amar
Como por um rio no trilho
Se seu destino é o mar

“E do rio que tudo arrasta
Se diz que é violento...”
E a margem que lhe diz basta
De todos tem consentimento

Da nascente do meu colo
Vi meu rio se afastar
Em seu sonho sem dolo
Queria apenas ser mar

E o mar que banha meu rosto
Quando vem me visitar
Saudade que tem um gosto
Eterno de um bem, de amar.

Não é para consolar
Falo porque acredito
O que aqui chamo mar
Deus chama de infinito.

Copyright © 2012 by Emanuel Galvão
All rights reserved.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Votos (Sérgio Jockymann)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Pele (Emanuel Galvão)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

VEM (Emanuel Galvão)

CÍNICO (Emanuel Galvão)