Soneto "Flor de Laranjeira" (Cavalcanti Barros)



Num álbum de sonetos vi pedaços,
pedaços bem diversos de outras vidas.
Vi almas suspirando doloridas,
e de amarguras vi profundos traços.

Em cada página encontrei, esparsos,
doridos corações, almas doridas,
amor, paixão, saudades incontidas,
anseios, beijos, dor, sonhos e abraços.

E nessa singular promiscuidade,
senti, silente, a dor duma saudade.
Outras dores iguais também senti,

Como se fosse um espelho desta vida,
eu vi minh'alma, inteira, refletida
naqueles versos que em suspiros li.


José Cavalcanti Barros é procurador aposentado, jornalista, poeta,
membro efetivo da Academia Maceioense de Letras
e da Academia Maçônica de Letras.
O soneto acima faz parte do livro "Tempo de Agora"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

'A Minha Avó Dizia-me...' (Paola Klug)

Receita Para Arrancar Poema Preso (Viviane Mosé)

Da Calma e do Silêncio (Conceição Evaristo)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)

Se Voltares (Rogaciano Leite)