Soneto "Flor de Laranjeira" (Cavalcanti Barros)



Num álbum de sonetos vi pedaços,
pedaços bem diversos de outras vidas.
Vi almas suspirando doloridas,
e de amarguras vi profundos traços.

Em cada página encontrei, esparsos,
doridos corações, almas doridas,
amor, paixão, saudades incontidas,
anseios, beijos, dor, sonhos e abraços.

E nessa singular promiscuidade,
senti, silente, a dor duma saudade.
Outras dores iguais também senti,

Como se fosse um espelho desta vida,
eu vi minh'alma, inteira, refletida
naqueles versos que em suspiros li.


José Cavalcanti Barros é procurador aposentado, jornalista, poeta,
membro efetivo da Academia Maceioense de Letras
e da Academia Maçônica de Letras.
O soneto acima faz parte do livro "Tempo de Agora"

Comentários

POSTAGENS MAIS VISISITADAS

Só quem vive bem os agostos é merecedor da primavera! - Miryan Lucy de Rezende

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Eu não gosto de você, Papai Noel!... (Aldemar Paiva)

Felicidade Realista (Martha Medeiros)

Ela é Mar (Ademir João da Silva)

'Eu te convido...' (Marla de Queiroz)