Mulher Sem Limites (Romance de Flor) (Emanuel Galvão)

Imagem
Você já figura no meu coraçãoDescalça e sem roupa como num salãoTão bela e tão doce, mulher sem limitesQuem dera que fosse... E assim exististesDançando ao ritmo de minha pulsação.Não cabes em rótulos, por que caberias?Palavras ou versos, talvez te seduza...Então, só então, tu abras tua blusaE ardente, insana, tu permitiriasVolúpias intensas de terna paixão.Porque minha pele não te resistiriaEs bela não nego, sou tão negligenteForas apenas bela, mas és inteligenteNão encontro virtude que assim a alcanceMelhor te amar, assim de relanceSem ilusões, sem juras de amorRomance de flor, sem dor sem espinhoCaindo as pétalas, restará: odor e carinhoAssim em meu sonho, te possuo inteiraTe amando pleno, não de qualquer maneira.
Copyright © 2020 by Emanuel Galvão
All rights reserved.

*Foto by: Ana Cruz

Sous le ciel de Paris (Édith Piaf)


Sous le ciel de Paris
S'envole une chanson
Elle est née d'aujourd'hui
Dans le coeur d'un garçon
Sous le ciel de Paris
Marchent les amoureux
Leur bonheur se construit
Sur une air fait pour eux
Sous le pont de Bercy
Un philosophe assis
Deux musiciens, quelques badauds
Puis des gens par milliers

Sous le ciel de Paris
Jusqu'au soir vont chanter
L'hymne d'un peuple épris
De sa vieille Cité
Prés de Notre-Dame
Parfois couve un drame
Oui, mais à Paname
Tout peut s'arranger
Quelques rayons du ciel d'été
L'accordéon d'un marinier
L'espoir fleurit
Au ciel de Paris

Sous le ciel de Paris
Coule un fleuve joyeux
Il endort dans la nuit
Les clochards et les gueux
Sous le ciel de Paris
Les oiseaux du Bon Dieu
Viennent du monde entier
Pour bavarder entre eux
Et le ciel de Paris
A son secret pour lui
Depuis vingt siècles il est épris
De notre île Saint-Louis

Quand elle lui sourit
Il met son habit bleu
Quand il pleut sur Paris
C'est qu'il est malheureux
Quand il est trop jaloux
De ses millions d'amants
Il fait gronder sur eux
Son tonnerre éclatant
Mais le ciel de Paris n'est pas longtemps cruel…
Pour se faire pardonner, il offre un arc-en-ciel…

*ouça a música interpretada por Zaz nesse belíssimo vídeo 


Sob o Céu de Paris

Sob o céu de Paris
Se evola uma canção
Ela hoje nasceu
No coração de um rapaz
Sob o céu de Paris
Caminham os apaixonados
A felicidade se constrói
Sob um céu feito para eles
Sob a ponte de Bercy
Um filósofo sentado,
Dois músicos, alguns curiosos,
e também milhares de pessoas

Sob o céu de Paris
Vão cantar até de noite
O hino de um povo apaixonado
Por sua velha cidade
Perto da Notre Dame
Por vezes se trama um drama
Sim, mas, em Paname
Tudo se arranja
Alguns raios do sol de verão,
O acordéon de um marinheiro
A esperança floresce
No céu de Paris

Sob o céu de Paris
Corre um alegre rio
Ele adormece à noite
os mendigos e os esfarrapados
Sob o céu de Paris
Os pássaros do Bom Deus
Vêm do mundo inteiro
Para conversar entre eles
E o céu de Paris
Tem seu próprio segredo
Há vinte séculos ele está apaixonado
Por nossa Ilha Saint Louis

E quando ela lhe sorri
Ele veste sua roupa azul
Quando chove em Paris
É porque ele fica infeliz
Quando fica ciumento demais
Dos milhões de amantes dela
Ele faz sobre nós ribombar
Seu trovão retumbante
Mas, o céu de Paris não fica por muito tempo cruel
Para se fazer perdoar, ele oferece um arco-íris.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MEUS SECRETOS AMIGOS (Paulo Sant'Ana)

Os Votos (Sérgio Jockymann)

A FLOR E A FONTE (Vicente de Carvalho)

Só quem vive bem os agostos é merecedor da primavera! - Miryan Lucy de Rezende

A Reunião dos Bichos (Antônio Francisco)

Gritaram-me Negra (Victoria Santa Cruz)

Se Voltares (Rogaciano Leite)

Reinauguração (Carlos Drummond de Andrade)