PLANETA ÁGUA (Guilherme Arantes)



Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão...

Águas escuras dos rios
Que levam
A fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população...
Águas que caem das pedras
No véu das cascatas
Ronco de trovão
E depois dormem tranqüilas
No leito dos lagos
No leito dos lagos...
Água dos igarapés
Onde Iara, a mãe d'água
É misteriosa canção
Água que o sol evapora
Pro céu vai embora
Virar nuvens de algodão...
Gotas de água da chuva
Alegre arco-íris
Sobre a plantação
Gotas de água da chuva
Tão tristes, são lágrimas
Na inundação...
Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra...
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água...
Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão...
Águas escuras dos rios
Que levam a fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população...
Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra...
Terra! Planeta Água

Gostou? Compartilhe nas redes sociais.

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Deixe seu comentário. Ele é importante para nós. Apos verificação ele será publicado.

Curta A Nossa Fanpage

Novo Livro

Novo Livro
Você pode compra-lo ligando para (82) 99653-4849

Desfrute, leia, curta e compartilhe boa leitura. Volte sempre!

O que está procurando?

Muito grato pela sua visita. Visita de Nº




Instagram

Recent In Internet

Poesia em seu Smartphone ou Iphone

Poesia em seu Smartphone ou Iphone
use seu leitor de Qr Code

Receba Novidades

RECEBA GRATUITAMENTE NOVIDADES DO BLOG!

Coloque seu e-mail abaixo:

Poesia Galvaneana